27 de mai de 2012

Mágoa Paulistana

A parede chora suas cores, mágoas por incontável desaguar humano.


Nenhum comentário: